HAICAIs

 

Mãe Natureza
Filhos Humanos
Netos espírito
s

                  (Marcos D. Hekman)

No peito ficou
A lembrança dourada
De YA-HA-TA

                (Louise R. Oliveira)

O fogo no mato
Queima as árvores
Fogem as aves

                  (Sergio Pastl)

No frio de maio
O calor de mães e noivas
Aquece nossos corações

                  (James Mendel Schostack)

O vento sopra
O sol no horizonte
Frio anuncia

                  (Harry Raul Boenning)

A turma canta
Ao redor da fogueira
Alegremente.

                  (Thaina C. Mattos)

A geada fria
Passou neste inverno
Com toda força.

                  (Thaina C. Mattos)

No dia das mães
A mãe da menina ganhou
Um par de brincos.
                (Thaina C. Mattos)

As folhas secas

Caíram da árvore
Hoje de manhã.
                (Thaina C. Mattos)

O grilo no chão

Pula aqui e ali.
Adeus ao verão.

                 (Evelena Boenning)

 

O trem no trilho
Vai correndo pra frente,
Fumaça pra trás.
                (Evelena Boenning)

Mudo, o grilo

Pula aqui e ali.
Adeus ao verão.
              (Evelena Boenning)

Chuva fria cai

Na manhã de outono
Onde está o sol?

                  (Tomoko K. Gaudioso)

O guri travesso
Comendo o churrasco
Lambuza a manta.

                  (Tomoko K. Gaudioso)

Folhas de outono
Caem-no capô do carro
Sujeiras no chão.

                (Tomoko K. Gaudioso)

Coelho na mão

Chocolate na boca.
Menina sorri
               (Tomoko Kimura Gaudioso)

O sol! Espaço – Verão

Inverno – Aconchego
O sol está no coração!

                  (Mario Galante Pacheco)

Brilha o sol no lindo dia
Brilha a folha seca no chão
Brilha a alma no 19º ano ASBBJ.

                  (Maria Inês Plentz)

Aqui vamos nós
Em direção ao céu.
Mergulhar no amor.

                  (Maria Inês Plentz)

 

O haicai brasileiro (Tomoko Kimura Gaudioso)

O haicai, surgido no Japão no século XVI, como derivação de primeiros três versos de poema clássico waka, foi conhecido primeiramente com o nome de Hokku, tomando forma própria com Matsuo Basho (1644 -1694). Adormecido por alguns séculos, o haicai toma nova forma, com poetas como Masaoka Shiki (1867 -1902) e outros haicaistas modernistas após a abertura dos portos do Japão (1868), que esteve por mais de 250 anos isolado do resto do mundo, durante o shogunato de Tokugawa (Período Edo).

 

O haicai foi difundido para vários países do ocidente por sua peculariedade de ser um poema pequeno na sua forma. Para o português ele foi introduzido por Afrânio Peixoto em 1919, entre outros.

 

No Brasil, Hyotoku Uetsuka, em 1918, foi o primeiro japonês a difundir o gosto de compor haicai, em língua japonesa, para os imigrantes chegados ao novo mundo repleto de Natureza.
Atualmente no Brasil, existem milhares de haicaístas e grupos de haicaístas que se reúnem mensal ou anulamente.

 

OS TRÊS ELEMETOS BÁSICOS DO HAICAI

O haicai, segundo um dos maiores grupos de haicaístas do Brasil, Grêmio Haicai Ipê de São Paulo, deve conter os seguintes elementos:

 

  1. Métrica: 5-7-5 sílabas distribuídas em três versos, num total de 17 sílabas;
  2. O haicai é composto de 3 versos e sua métrica é distribuída da seguinte maneira: o primeiro e o terceiro verso são pentassílabos e o segundo verso, heptassílabo, totalizando 17 sílabas. Para sua contagem, usa-se sílaba métrica, contando as sílabas até a última sílaba tônica, permitindo-se a elisão, supressão da vogal final do vocábulo, quando a seguinte inicia com uma vogal.
    Exemplo:
     Nes ta ca te dral
       1     2  3  4    5

    Quan do ar de o sol, to da tar (de)
        1        2        3     4     5  6   7

    San gra es te vi tral...
      1          2    3  4   5       (Jorge Fonseca Jr.)

     

  3. Snap: retratar a realidade do momento;
  4. O haicai não deve ter a forma de epopeia. Ele deve descrever o momento quando ocorre aquele fato, de modo objetivo. Ele é de fato, um snap do momento.

     

  5. Kigo: conter termo que remeta à estação do ano.

Kigo são palavras que indicam  ou sugerem uma determinada época do ano como as  quatro estações. Para tanto pode-se recorrer aos fenômenos da natureza, datas comemorativas e festivas, plantas e frutas e animais, que são representativas de determinadas épocas do ano.

O haicai, apreciado por sua simplicidade e forma, tem atraído cada vez mais a simpatia dos leitores e escritores. Além disso, ele também remete à reflexão dos fatos cotidianos, que por vezes passam desapercebidos e/ou abafados por problemas sociais que rodeia a vida das pessoas. Acreditam os japoneses que observar e apreciar as mudanças na Natureza traz tranquilidade e harmonia ao espírito. Esta percepção, quase esquecida, alimenta a alma.

 

Ainda segundo os japoneses, uma boa saúde só é completa, quando corpo e alma estão em equilíbrio.